Da velhice à terceira idade: o percurso histórico das identidades atreladas ao processo de envelhecimento

Luna Rodrigues Freitas Silva nos apresenta este importante artigo dizendo que:
“… trata do surgimento histórico das noções de velhice e terceira idade como categorias identitárias atreladas ao processo de envelhecimento. A origem de tais noções está na combinação complexa de fatores como saberes médicos e sociais, agentes de gestão, movimentos políticos e interesses econômicos. Como velhice e terceira idade são identidades etárias historicamente determinadas, analisam-se os fatores que determinaram sua ascensão e sua legitimação. A velhice surge como categoria etária quando o corpo velho é tomado como objeto de estudo e quando os sistemas de aposentadoria são implementados. A terceira idade aparece como categoria etária com a especialização dos agentes de gestão do envelhecimento, o discurso reivindicador da gerontologia social e os interesses da cultura do consumo. Essas categorias são postas em campo para identificar, definir e, mais recentemente, transformar o processo de envelhecimento contemporâneo.”
O acentuado envelhecimento da população é um tema que vem recebendo destaque em diversos campos da cultura, gera debates e produz tanto inovações quanto desafios, no que se refere à gestão coletiva dos ‘problemas’ sociais.
No campo dos estudos acadêmicos sobre a velhice, esforços têm sido empreendidos com o intuito de analisar, problematizar e propor novas formas de compreensão do envelhecimento. Esses esforços procedem das mais diversas disciplinas, como medicina, psicologia, sociologia e antropologia, sem deixar de mencionar a emergência de mais uma disciplina que almeja a integração dos discursos especializados: a gerontologia.
Use este link  http://ref.scielo.org/n7gfc7 para a leitura completa do artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *