Médico destrói mitos sobre produtividade

Médico destrói mitos sobre produtividade de colaboradores mais velhos

O vídeo tem 5min – vale a pena assitir
Comentário do Blog: Alexandre Kalache com a palestra “A produtividade na longevidade”, durante o CONARH 2015, lembrou que “pensar a longevidade não é só assegurar direitos como a aposentadoria e outros benefícios, mas também proporcionar o direito de trabalhar”. Ao tomar o Brasil como exemplo, dados mostram que o país está envelhecendo mais rapidamente do que os países desenvolvidos, e isso tem impacto direto na produtividade.Em 2002, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou o Marco Político do Envelhecimento Ativo, que propõe um processo de otimizar as oportunidades de saúde, participação, segurança, proteção e aprendizagem ao longo do curso da vida.
Pensando nisso, Alexandre alerta que “é preciso reinventar o curso de vida e que, para isso, alguns mitos sobre o trabalhador idoso precisam ser revistos. Um deles é que empregados mais velhos são mais propensos ao esgotamento e menos produtivos do que os mais jovens, mas, de acordo com estudos recentes, isso não é totalmente verdade, pois alguns valores como lealdade e cooperação, por exemplo, são mais fortes nesse grupo.
Outro mito é de que as habilidades são perdidas ao longo da vida, mas isso pode ser revertido por meio de exercícios físicos e mentais. Além disso, ser produtivo em uma organização depende não só da idade, mas também da saúde, e por isso é fundamental cuidar dos seus colaboradores”.
Para o presidente do Centro Internacional de Longevidade, Brasil está dando “tiro no pé” ao não se preparar para trabalhar com colaboradores mais velhos, já que população está em rápido envelhecimento. Ele sugere ações que empresas podem colocar em prática para se adaptar a esse novo cenário. Leia mais sobre a palestra de Kalache: http://goo.gl/4zGNwO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *