Gênero, envelhecimento e transformações sociais

I Seminário Internacional sobre Gênero e Diversidade Sexual na Velhice

O Ministério do Desenvolvimento Social da Argentina, em parceria com a Faculdade de Psicologia da Universidade Nacional de Mar Del Plata, realizam em Buenos Aires, nos próximos dias 28, 29 e 30, o I Seminário Internacional sobre Gênero e Diversidade Sexual na Velhice, com a participação de palestrantes e ativistas de vários países do mundo, entre eles os brasileiros Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade; a professora Guita Debert, do IFCH da Unicamp; e Neusa Pivatto Muller, coordenadora do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso.

De acordo com os organizadores, o objetivo do Seminário é proporcionar a troca de experiências de inclusão e permitir o desenvolvimento de abordagens acadêmicas voltadas para a melhoria de vida das pessoas idosas, com um foco especial nos seguintes pontos:

– Compreender as múltiplas discriminações que afetam as mulheres idosas;

– Problematizar a situação dos homens e as transformações de papeis pelas quais passam na velhice;

– Articular a formação acadêmico-profissional dos participantes a partir da perspectiva de gênero na velhice;

– Apresentar conhecimentos gerontológicos sobre as formas de envelhecimento na comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais);

– Criar espaços para intercâmbios sobre as políticas públicas que abordem tanto a temática de gênero como a diversidade sexual na velhice.

Política inclusiva

De acordo com o Ministério de Desenvolvimento Social da Argentina, o seminário faz parte de um conjunto de políticas sociais para idosos que vêm sendo implantadas nos últimos anos no país.

“Desde 2003, o governo argentino tem criado leis e políticas sociais voltadas para os diferentes segmentos da população idosa, que vão desde a ampliação da seguridade social e a aposentadoria até as leis de Matrimônio Igualitário e Identidade de Gênero (promulgadas em 2010 e 2012, respectivamente), além do Decreto de Reconhecimento Igualitário. Estes avanços (…) representam uma conquista social que tem como horizonte a igualdade de toda a população. A ampliação dos direitos sociais daqueles que historicamente foram relegados ou postergados – como as pessoas idosas, as mulheres e o coletivo LGTB”, afirma o Ministério.

O seminário, que acontecerá no Salão Libertador do Palácio San Martin, em Buenos Aires, é realizado com apoio das seguintes instituições: Ministério de Relações Exteriores da Argentina, Rede Intergovernamental Ibero-americana de Cooperação Técnica (sediada na Espanha), Centro Internacional de Longevidade Argentina, Centro Internacional de Longevidade Brasil, Organização Ibero-americana de Seguridade Social e Rede Internacional de Prevenção de Maltrato a Pessoas Idosas (com sedes em diversos países).

Participarão do Fórum do Rio e estarão no Seminário de Buenos Aires: Alexandre Kalache, co-presidente da Aliança Global de Centros Internacionais de Longevidade (International Longevity Centre – ILC) e presidente do ILC-BR; Lía Daichman, Presidente do Centro Internacional de Longevidade Argentina; Monica Roqué, Diretora Nacional de Políticas para Pessoas Idosas, da Secretaria Nacional de Infância, Adolescência e Família do Ministério de Desenvolvimento Social; Guita Debert, da Universidade de Campinas, Unicamp; Toni Antonucci, Diretora do Programa de Pesquisa, no Programa de Desenvolvimento e Curso de Vida do Instituto de Pesquisa Social da Universidade de Michigan; Maria Victoria Zunzunegui, Professora da Escola de Saúde Pública da Universidade de Montreal, Canadá.
Fonte: http://longevidadeadunicamp.org.br/?p=1350

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *