Europa e envelhecimento*

Como a Europa está respondendo ao envelhecimento

O relatório “Shaping Ageing Cities” analisa como dez cidades europeias (Amesterdã, Berlim, Bruxelas, Copenhague, Dublin, Lisboa, Londres, Madri, Milão e Paris) estão respondendo ao envelhecimento populacional. Analisa estas questões-chave de acordo com os dados sobre envelhecimento e observando-os sob as lentes da sociedade: mobilidade, ambiente construído e digital, e estabelece a base para investigar a correlação entre a política, planejamento e envelhecimento.

Estamos vivendo na era urbana e do envelhecimento. Em 2050, pela primeira vez na história da humanidade, o número de idosos será maior do que o número de crianças com menos de 15 anos de idade. Cidades de todo o mundo continuam crescendo, mais pessoas estão envelhecendo em suas habitações, nas ruas, em comunidades… e muitas vezes as cidades não respondem adequadamente ao envelhecimento de populações com políticas específicas. 

Como as cidades podem responder a esta mudança demográfica e oferecer soluções adequadas? Este é o objetivo do relatório “Shaping Ageing Cities” que tem uma visão de futuro, realizado por Arup, em colaboração com a HelpAge International, Intel ICRI Cities and Systematica. O relatório aborda esta preocupação global através de uma visão comparativa do desempenho de 10 cidades europeias: Amesterdã, Berlim, Bruxelas, Copenhague, Dublin, Lisboa, Londres, Madri, Milão e Paris.

O relatório analisa estas questões-chave de acordo com os dados sobre envelhecimento e observando-os sob as lentes da sociedade: mobilidade, ambiente construído e digital, e estabelece a base para investigar a correlação entre a política, planejamento e envelhecimento.

“As cidades e ambientes urbanos têm um papel fundamental na definição de como lidar com o envelhecimento da nossa sociedade. Isso fornece uma oportunidade única para influenciar e criar ambientes urbanos e estruturas sociais de maneira a respeitar, proteger e cumprir os nossos direitos, inclusive na nossa idade mais avançada”, disse Stefano Recalcati, de Milão.

Shaping Ageing Cities define uma metodologia para estudar o envelhecimento em cidades europeias; compreendendo características principais como transporte, renda, espaços ao ar livre, projetos de edifício, inclusão social, as TIC e os serviços de saúde, a fim de aplicar essa experiência para o crescente mercado relacionado com a construção da cidade.

O relatório pode ser lido na íntegra Aqui 

(*)Marina Miceli, email: europe-press@arup.com. Tradução livre por Sofia Lucena. Disponível Aqui

http://longevidadeadunicamp.org.br/?p=1606 em 2 de dezembro de 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *