O idadismo ou edadismo – parte 1

O idadismo tem sido classificado como a terceira maior forma de discriminação da sociedade, atrás do racismo e do sexismo.

 Nota: tradução livre

O Edadismo faz referencia a manutenção de estereótipos ou atitudes prejudiciais para uma pessoa, unicamente pelo fato de ser velho. O estereotipo proporciona uma visão altamente exagerada de umas poucas características. As características básicas dos estereótipos que formam a base do edadismo são as seguintes: 
  • Alguns estereótipos são inventados, não são reais, sem dúvida são validados devido a sua relação com algumas tendências de comportamento que tem alguma parte de verdade.
  •  Em um estereotipo negativo, as características positivas se omitem ou não são suficientemente expostas.
  • Os estereótipos não refletem as tendências compartilhadas pela maioria ou outras qualidades positivas das pessoas.
  • Os estereótipos não proporcionam nenhuma informação sobre a causa das tendências que se mencionam.
  • Os estereótipos não facilitam um modo distinto de ver as coisas, não devem perdurar no tempo.
  • Os estereótipos não facilitam a observação da versatilidade  interindividual, sendo isto especialmente importante no caso das pessoas velhas, dadas as amplas diferenças entre umas e outras pessoas velhas. 
“Em obra que se tornou referência, Simone de Beauvoir2 (1976) relata ter entreouvido no comentário de uma aluna norte-americana a palavra “velha” pela primeira vez associada à sua pessoa. Instigada pelo efeito perturbador da associação que considerou incômoda no vigor dos seus 50 anos à época, Beauvoir empreendeu minucioso estudo no qual põe em questão a naturalização da velhice como fato biológico, denuncia a ambiguidade do termo e constata ser “impossível encerrar esta pluralidade de experiências num conceito ou numa noção”3 . Ao defender que a velhice deve ser entendida como um “fato cultural”, a autora conclamou os leitores à luta contra a “conspiração do silêncio” usada para escamotear o descaso de nossas sociedades em relação aos mais velhos. ” In Precisamos discutir o idadismo na comunicação de Gisela G. C. Castro
Fonte: http://ibescosocial.com/wordpress/1-parallax

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *