Chapéu Violeta – Mário Quintana

Aos 3 anos: Ela olha pra si mesma e vê uma rainha.

Aos 8 anos: Ela olha para si e vê Cinderela.

Aos 15 anos: Ela olha e vê uma freira horrorosa.

Aos 20 anos: Ela olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, decide sair mas, vai sofrendo.

Aos 30 anos: Ela olha pra si mesma e vê muito gorda, muito magra, muito alta, muitobaixa, muito liso muito encaracolado, mas decide que agora não tem tempo pra consertar então vai sair assim mesmo.

Aos 40 anos: Ela se olha e se vê muito gorda, muito magra, muito alta, muito baixa, muito liso, muito encaracolado, mas diz: pelo menos eu sou uma boa pessoa e sai mesmo assim.

Aos 50 anos: Ela olha pra si mesma e se vê como é. Sai e vai pra onde ela bem entender.

Aos 60 anos: Ela se olha e lembra de todas as pessoas que não podem mais se olhar no espelho. Sai de casa e conquista o mundo.

Aos 70 anos: Ela olha para si e vê sabedoria, risos, habilidades, sai para o mundo e aproveita a vida.

Aos 80 anos: Ela não se incomoda mais em se olhar. Põe simplesmente um chapéu violeta e vai se divertir com o mundo.

Talvez devêssemos por aquele chapéu violeta mais cedo!

Comentário do Blog: Hoje, dia 07/03/2018, um amigo leitor do Blog, gentilmente me informou, que este apaixonante texto não é de autoria do Mário Quintana. Pois bem, em campo para corrigir o erro encontro na página www.contioutra.com/ o mesmo “erro” com a Nota que aqui reproduzo: “Fomos informados que o texto acima não é de Mário Quintana e sim de Erma Bombeck, como indica o link aqui.”

Fonte: http://marioquintanavidaeobra.blogspot.com.br/

24 thoughts on “Chapéu Violeta – Mário Quintana

  1. Amo esse poema! Assim vivemos e vamos descobrir mais tarde o quanto podemos ser felizes com a simplicidade da vida!
    Mario Quintana é o poeta da alma!

    1. Boa noite, Ana Luiza. Tens razão. Às vezes me pergunto porque temos tanta facilidade em complicar.
      Estpu feliz com tua visita, volte sempre. Um abraço e Vivamos a Velhice com poesia.

    1. Vera Lucia, que bom que você veio. Um amigo leitor fez um alerta sobre a autoria deste texto não ser do Mário Quintana.
      Inseri uma nota a respeito.
      Volte sempre, te esperamos. Abraço.

    1. Neiva Elisa, um amigo leitor fez um alerta sobre a autoria deste belo texto não ser de Mário Quintana. Coloquei uma nota a respeito.
      O Viva a Velhice te espera em mais visitas. Aguardo.

    1. Sebastião, boa noite. Agradecida pelo alerta. Ao pesquisar encontrei na Página do http://www.contioutra.com/ uma nota esclarecendo que fora informado do erro. Na postagem inseri a referida informação.
      Agradecida pela visita “colaborativa” e o convido a voltar sempre, com sugestões se assim lhe agradar.

    1. Textos Apócrifos na Internet
      Boa tarde. Agradeço a observação, ficaria agradecida se o lembrete tivesse vindo acompanhado da solução. Diria que também procuro o autor. Caso encontre a resposta, por gentileza me comunique.
      Agora, retomo o desejo de exclui-lo.
      Volte sempre. Abraço.

  2. Este poema é da escritora americana Erma Bombeck e que alguns Blogs atribuem erroneamente a Mario Quintana, sob o Título “Chapéu de Flor”
    Belíssimo, e por mais sensível que Mario Quintana tivesse sido ao expressar-se, não poderia ter alcançado a delicadeza e a profundidade que só mesmo uma mulher poderia sentir!!!

    1. Céla Regina, verdadeiramente tens razão.
      Um amigo leitor, há algum tempo, alertou-me sobre a autoria do Poema. Então, registrei o comentário que encontrei no “CONTI outra” que também havia sido notificado a respeito. A observação está lá no rodapé da página.
      Ficaria muito alegre se fizesses do Viva a Velhice um dos teus cantinhos de visitas. Aceito contribuições.
      Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *