Minha melhor amiga de 70 anos

O que eu aprendi com minha melhor amiga de 70 anos

No verão passado, Debra e eu comemoramos datas importantes juntas. Ela completou 70 anos, e eu, 21. Bebemos vinho, contemplamos a vida e refletimos sobre quatro anos fabulosos de amizade. Conheci Debra quando cheguei em Nova York, com 17 anos de idade, perdida e solitária. Desde então, ela tem sido minha amiga, consultora de moda e confidente. Aqui estão cinco lições essenciais sobre a vida e envelhecimento que ela me ensinou e que continuarão a me inspirar na medida que eu envelheço.

Minha melhor amiga tem 70 anos de idade e ela é elegante e fabulosa, eu jamais serei como ela.

Quando andamos pelas ruas de New York, juntas, as pessoas param e olham. E elas não olham para mim. Elas olham para ela, com seu casaco colorido e um chapéu de papel toalha que já é sua marca registrada.

As pessoas sempre nos param para admirar suas roupas e perguntar se elas podem tirar uma foto dela. Ela lhes agradece e posa graciosamente, e ela geralmente os convida para a festa que ela vai dar em seu apartamento no West Village na semana seguinte.

Minha melhor amiga é Debra Rapoport, e ela é uma das estrelas da série Advanced Style series (Estilo Avançado), que comemora a vida e o estilo de homens e mulheres mais velhos importantes.

No verão passado, Debra e eu comemoramos datas importantes juntas.

Ela completou 70 anos, e eu, 21.

Bebemos vinho, contemplamos a vida e refletimos sobre quatro anos fabulosos de amizade.

Conheci Debra quando cheguei em Nova York, com 17 anos de idade, perdida e solitária. Desde então, ela tem sido minha amiga, consultora de moda e confidente.

Aqui estão cinco lições essenciais sobre a vida e envelhecimento que ela me ensinou e que continuarão a me inspirar na medida que eu envelheço:

1 – O envelhecimento nem sempre tem aquela aparência que você acha que tem

Eu costumava me imaginar aos 70 anos como uma velha senhora com cabelos grisalhos e ossos frágeis que se sentava sozinha em casa e jogava baralho o dia todo.

Mas quando conheci Debra, seu cabelo rosa brilhante e personalidade extrovertida, destruíram completamente esta minha imagem.

Sua agenda está sempre lotada, e ela está constantemente saindo de casa. Ela dá oficinas, se encontra com fotógrafos para sessões de fotos e dá festas para sua lista de amigos que visitam a cidade, e que nunca termina.

A idade não determina a sua capacidade de permanecer vital e extrovertido.

2 – Comece a cuidar de si mesmo agora

Não tomamos cuidado com nossos corpos e saúde, mas é importante tratar os nossos corpos com amor e respeito, independentemente da nossa idade.

Debra é profissional nisso. Ela ouve seu corpo e sabe o que quer para comer, como ele quer se mexer e o que quer vestir.

Ela acorda cedo para a yoga, às 7h da manhã e cozinha um pote de farinha de aveia fresco para o café da manhã todos os dias.

Ela prepara refeições nutritivas com ingredientes do mercado, mas ela também se entrega ao chocolate e coloca mais sal em seu sorvete de caramelo salgado quando ela quer.

Equilíbrio é a chave.

3 – Preto é tedioso

Ser normal e se misturar é muito fácil.

Abraçar a cor em sua vida não significa que você tem que se vestir com estampas brilhantes. Trata-se de se mudar e mudar as áreas de sua vida que parecem pretas e desgastadas.

Debra me ensinou a não apenas ser intencional sobre a forma de me vestir, mas também na forma de me expressar.

amiga 70 2Nenhum de nós deve esperar 50 anos para começar a ser ousado e parar de se importar com o que as outras pessoas pensam.

Se expresse livremente, e as pessoas vão se sentir atraídas por você.

Não tenha medo de se destacar.

4 – Nunca é tarde demais

“Querida, não se preocupe! Você é tão jovem e ainda tem toda a sua vida para descobrir isso”, Debra sempre diz.

Quando ela me diz que eu não tenho nada com que me preocupar e que tudo vai dar certo, eu sei que posso confiar nela, porque ela tem anos de experiência em seu currículo. Às vezes eu sinto que nunca vou ter outra oportunidade de seguir minhas paixões e descobrir quem eu sou se eu não fizer isso agora.

Mas eu esqueço que nunca é tarde demais para descobrir novos interesses e mudar meus planos.

Debra tem sido tudo, desde uma professora até uma designer, e ela fala com carinho sobre cada carreira.

Só recentemente ela começou a sua carreira de modelo profissional depois que completou 65 anos, e ela parece mais confiante em sua pele do que muitos jovens modelos que já vi.

Tudo bem respirar fundo e ir devagar.

Tem muito tempo para entender todas as coisas.

5 – Não tenha medo de envelhecer

Envelhecer não é algo que devemos temer; é algo para se esperar ansiosamente.

Debra me ensinou que mesmo que nossos corpos envelheçam, ainda podemos optar no coração por ficarmos jovens.

Você pode permanecer jovem aproveitando as oportunidades, abraçando o amor e cuidando de si mesmo.

Quem você é importa mais do que sua idade, como você se sente e como você escolhe se expressar.

Idade, realmente é apenas um número.

(*)Carly Sotas escreve para Elite Daily, sessão Life. Tradução livre de Sofia Lucena, colaboradora do Portal do Envelhecimento: Acesse Aqui 

Fonte: http://www.portaldoenvelhecimento.com/comportamentos/item/3992-o-que-eu-aprendi-com-minha-melhor-amiga-de-70-anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *