Para que servem as redes sociais?

As redes sociais têm adquirido importância crescente na sociedade moderna.

Comentário do Blog: As redes sociais quando bem utilizadas podem se importantes instrumentos cultural, de aprendizado, de utilidade pública e social e, hoje ganham destaque no ativismo e cidadania. No vídeo abaixo, vamos conhecer a história de Raimundo Arruda Sobrinho que era um sem-teto em São Paulo, Brasil, por quase 35 anos , e tornou-se conhecido localmente por sentar-se no mesmo local e escrever todos os dias. Em abril de 2011 , ele fez amizade com uma jovem chamada Shalla Monteiro. Impressionado com sua poesia e querer ajudá-lo com o seu sonho de publicar um livro, ela criou uma página no Facebook para caracterizar a escrita de Raimundo. Nem poderia ter esperado o que aconteceu em seguida. Este pequeno filme usa imagens de um documentário sobre Raimundo filmado em São Paulo em 2011 e 2012 , juntamente com entrevistas e cenas filmadas em Goiana, Brasil, em Janeiro de 2014. Esta é uma das 10 histórias que comemoraram o 10º aniversário do Facebook e uma década de conexões feitas através da plataforma. 

Após o vídeo está um pqueno artigo sobre redes.

Veja mais sobre Raimundo e sua poesia em sua página no Facebook mantido por Shalla: facebook.com/ocondicionado

Rede Social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que compartilham valores e objetivos comuns. Uma das fundamentais características na definição das redes é a sua abertura, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes. “Redes não são, portanto, apenas uma outra forma de estrutura, mas quase uma não estrutura, no sentido de que parte de sua força está na habilidade de se fazer e desfazer rapidamente.”

Muito embora um dos princípios da rede seja sua abertura e porosidade, por ser uma ligação social, a conexão fundamental entre as pessoas se dá através da identidade.

“Os limites das redes não são limites de separação, mas limites de identidade. (…) Não é um limite físico, mas um limite de expectativas, de confiança e lealdade, o qual é permanentemente mantido e renegociado pela rede de comunicações.”

As redes sociais online podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, as redes de relacionamentos: FacebookTwitter, InstagramGoogle+Youtube,MySpaceBadoo, redes profissionais Linkedin, redes comunitárias (redes sociais em bairros ou cidades), redes políticas, redes militares, dentre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade, como os indivíduos alcançam os seus objetivos ou medir o capital social – o valor que os indivíduos obtêm da rede social.

As redes sociais têm adquirido importância crescente na sociedade moderna. São caracterizadas primariamente pela autogeração de seu desenho, pela sua horizontalidade e sua descentralização.

Um ponto em comum dentre os diversos tipos de rede social é o compartilhamento de informações, conhecimentos, interesses e esforços em busca de objetivos comuns. A intensificação da formação das redes sociais, nesse sentido, reflete um processo de fortalecimento da Sociedade Civil, em um contexto de maior participação democrática e mobilização social.

Com as diversas redes sociais, os consumidores estão em contato constante com as marcas. Este fato resulta da revolução tecnológica que, com tablets esmartphones, coloca o mundo nas mãos do consumidor, e tem, como consequência, uma revolução ao nível do marketing e da forma como as empresas se comunicam com os consumidores. Devido a este fenômeno, as marcas, nas mais diversas áreas de negócio, estão a perceber-se de que as técnicas de marketingtradicionais estão a tornar-se cada vez menos eficazes e mais dispendiosas,[3] isto porque a segmentação no marketing “tradicional” é muito menos eficaz e a medição do impacto não é imediata, o que acontece com o marketing digital e, principalmente, com o marketing das redes sociais.

As marcas já não conseguem controlar nem a sua comunicação nem o que se diz sobre elas nas redes sociais. O consumidor assumiu o controle e é participativo em todo o processo de comunicação, chegando mesmo ao ponto de as marcas terem que apresentar conteúdos relevantes, pertinentes e adequados aos desejos e necessidades dos consumidores de forma a terem “permissão” para falar com eles. Este fenômeno está diretamente ligado a um conceito emergente nomarketing e comunicação: earned media (“mídia conquistada”).

Fonte do vídeo: Portal do envelhecimento

Fonte para o artigo: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rede_social

Imagem: www.mesademarketing.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *