Um sorriso por dia mantém o médico longe

Gea Sijpkes, Humanitas Holanda

Gea Sijpkes é CEO Humanitas Deventer na Holanda. Ela quer fornecer mais do que apenas cuidados de saúde em seu lar de idosos, ela quer que os residentes encontrem emoção e um sorriso todos os dias.

Ela conseguiu, com uma experiência intergeracional.

Comentário do Blog: Humanitas é um dos principais serviços sociais e organizações da comunidade dos Países Baixos. Humanitas é uma associação sem fins lucrativos que visa apoiar pessoas que, por uma série de razões diferentes, temporariamente, necessitam de cuidados. Nos dois endereços no rodapé artigos com fotos e vídeos. Claro que você deve assistir, são originais e interessantíssimos. A tradução aqui é livre.

Envelhecer nem sempre é fácil. Mas mudar-se para uma casa de cuidados residenciais, é a solução que vem sendo encontrada porque viver em sua própria casa torna-se mais difícil, ou mesmo possível em algumas circunstâncias, não é um dos momentos na vida que você pensa em olhar para frente, mas em viver.

Para lares residenciais, como Humanitas, a questão é: o que pode oferecer de afazeres um lar de cuidados para idosos? Claro, fornecer cuidados de saúde adequados é uma coisa, mas o que de mais-valia pode o Humanitas dar a pessoas idosas? O Humanitas tem três valores principais com os quais quer construir o seu ambiente: amor, solidariedade e aconchego.

A organização decidiu criar uma comunidade calorosa, aconchegante e rica em relações, onde os idosos podem encontrar emoção e um sorriso todos os dias. Deve ser um lugar que se quer pertencer, um lugar onde se quer viver. Mas como poderia este ambiente ser criado?

Percebeu que  este ambiente não poderia ser criado apenas com a equipe profissional. Os profissionais são principalmente preocupados com o exercício da profissão e menos com as pequenas coisas extras que podem agregar valor para a casa e os cuidados. Deve ser mais como bons vizinhos que se preocupam com o outro.

É aí que a ideia de estudantes como residentes veio à tona. Atualmente Neste momento os estudantes dos Países Baixos têm muitas vezes dificuldades em encontrar moradias/quartos a preços acessíveis. Além disso, devido a mudanças dos beneficiários no cuidado de longo prazo, a taxa de desocupação em lares de idosos é bastante elevado.

Colocar estudantes e idosos, juntos, gera a criação de uma dinâmica que beneficia ambas as partes. Para os alunos Isto é vantajoso porque agora eles podem viver em um lugar de graça e ter um bom lugar quente para viver. Isto é vantajoso para os idosos Porque os jovens estão prontos para trazer histórias positivas de energia, de vida e de alegria, com um pouco de ajuda e atenção.

Começamos com um aluno, não tínhamos ideia do resultado. Foi apenas um tentativa para ver se este conceito iria trazer o que nós esperávamos que iria trazer. Mesmo que nem para todos os idosos residentes a idéia, de um jovem ser seu novo vizinho, foi positiva os resultados foram surpreendentes, resultando em seis alunos que vivem neste momento com 150 idosos

Os alunos são cheios de energia, simpáticos, prestativos e prontos para colaborar. Muitas vezes, apenas uma conversa dos voluntários diferente da dos profissionais acrescenta muito valor para a vida dos idosos em Humanitas.

A principal orientação para os alunos é ser um bom vizinho. Em troca de 30 horas de trabalho voluntário, os estudantes obtém um quarto gratuitamente. O conceito só funciona quando os alunos compreendem o significado de ser um bom vizinho. Eles devem ter uma amorosa com os idosos, prestar atenção, desenvolver uma empatia e ajustar-se ao ritmo dos idosos.

Pode-se dizer que as 30 horas de trabalho voluntário é apenas uma questão de discurso, porque as 30 horas não são monitorados. Com este projeto, a cultura da organização mudou de um controle para uma organização baseada na confiança. A confiança é um fator-chave aqui. Na Humanitas os alunos vivem suas vidas. Eles estudam, saem, chegam em casa às 5 da manhã ou dormem até 1h. Eles têm amigos mais próximos, cozinham sozinho ou em conjunto com os estudantes ou com os idosos. Além disso, eles estão mostrando as suas próprias iniciativas de organização para os idosos.

Um exemplo é um dos estudantes do sexo feminino que organizou a noite de bem-estar para todos os residentes no seu andar. O resultado: idosos tem sessão de hidromassagem para os pés. Mas o mais importante são os idosos com sorriso de orelha a orelha. Outros exemplos de atividades organizadas para os idosos foram às oficinas de graffiti e oficinas de dança de rua. Idosos descobriram talentos que eles desconheciam ter.

O projeto dos estudantes que vivem em Humanitas, que estão sendo um bom vizinho para os idosos, já tem vários anos e os befícios são incontáveis. Convivendo com pessoas de diferentes idades, com diferentes perspectivas, traz alegria e emoção. Pode ser uma parte de um movimento maior, o movimento a partir de uma sociedade exclusiva, isolado, para uma inclusiva/um integrada.

O projeto já recebeu elogios de agências de notícias, como a BBC, Al Jazeera, o Independent, NRC Next e EenVandaag. Ao todo, mais de 30 países diferentes ficaram interessados neste conceito e publicados sobre o assunto, desde artigos de jornais com entrevistas e vídeos. Em Helsínque, surgiu o primeiro lar depois de visitar Humanitas em Deventer, no Brasil um estudante de arquitetura fez da experiência seu tema de graduação.

Assim, o conceito de estudantes que vivem em conjunto com os idosos é um conceito em que ambas as partes se beneficiam e enriquecem mutuamente. Um sorriso de um dia para todos, incluindo os idosos, é o que deve ser a orientação para todo o mundo.

Fonte:  http://www.sbs.com.au/news/dateline/story/my-93-year-old-flatmate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *