Anna Variani, 1910 – 2009

Dona Anna Variani, dirige aos 98 anos um Fusca 74 e trabalha voluntariamente em dois lugares: Sociedade Beneficente Santo Antônio e, no Lar do Ancião em Bento Gonçalves/RS.

Comentário do Blog: Acredito que cometeria um erro se deixasse de registrar, aqui no Blog, esta entrevista, veiculada no Programa do Jô com Dona Anna Variani em 2008. Pois Dona Anna foi a imagem, o exemplo, a vida que eu gostaria que você visse, sentisse e percebesse como mensagem explícita ou nas entrelinhas de cada um dos artigos aqui postados! Viva a Velhice! Vivamos a Velhice!  Em 2008 ela partcipou do Programa do Jô e da Ana Maria Braga. O Programa começou assim:

Ela é uma senhora encantadora, adorável e que se dedica a ajudar os outros. São 45 anos de assistência social.  A Dona Anna Variani usa o carro para ir quase todo dia para o Lar do Ancião de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. Mas a Dona Anna não mora no local, ela trabalha como voluntária, é a vice-presidente do lar, onde hoje vivem 60 idosos e 59 são mais novos do que Dona Anna.

Anna Variani reside na cidade serrana de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul (RS). Em 15 de Novembro de 1910 nasceu em Solagna, fronteira com Bassano del Grappa, um comuna italiana da região do Vêneto. Da Itália, ela imigrou para o Brasil com a família durante a Primeira Guerra Mundial.

Os quase 100 anos de vida reduziram alguns centímetros de dona Anna, hoje com menos de 1m50 de altura, apenas 35 quilos e ainda com grande disposição. Na hora do almoço, ela dá de comer às velhinhas do asilo que têm mais dificuldade.

A questão agora é tentar convencê-la a ficar longe do volante. “Eu gosto de dirigir. Não tenho medo, porque quando as coisas têm que acontecer, elas acontecem”, diz dona Anna Variani. “Tem um motorista que já foi contratado, motorista do Lar do Ancião e que vai conduzi-la por muitos anos ainda no próprio fusca, só que ela no banco do carona”, diz Edir Variani, filho de Dona Anna.
“Mas é o último prazer que eu tenho na minha vida é o fusca”, lamenta Dona Anna.
“Mas eu não vou lhe tirar o prazer, mãe. A senhora continua com o fusquinha, só que no banco do carona. Eu quero o bem para a senhora”, finaliza Edir.

E quantos são os acontecimentos na vida de quem beira os 100 anos. Dona Anna conduz com pulso firme e com a cautela de quem conhece os perigos do caminho, nas curvas da Serra Gaúcha. Ela aceita as limitações impostas pela idade: só pode dirigir com óculos, aparelho auditivo e nunca depois do pôr-do-sol.

Veja o programa aqui: https://globoplay.globo.com/v/2846715/

Anna Variani, 98 anos, morreu numa tarde de domingo (08/11/2009)  em Bento Gonçalves.  estava internada desde 28 de outubro no Hospital Tacchini. Conforme um dos filhos dela, o advogado Edir Variani, 72, a mãe estava com a saúde debilitada por causa da idade e teve complicações respiratórias. Além do filho, ela deixa sete netos e nove bisnetos. No próximo domingo, dia 15, Anna completaria 99 anos.

— Eu tenho a melhor das lembranças da minha mãe. Ela viveu intensamente e alcançou todos os objetivos da vida dela com os filhos, os netos e trabalhando para o bem-estar da sociedade — afirma Edir.
Ficou famosa em 2005, após ser descoberta por uma equipe do Globo Repórter dirigindo seu Fusca laranja ano 1974. Por causa disso, ela participou dos programas do Jô Soares, em 2008, e da Ana Maria Braga, na Globo. No ano passado, renovou a carteira de habilitação, aos 97 anos, mas parou de dirigir a pedido dos familiares.

2 thoughts on “Anna Variani, 1910 – 2009

    1. Sergio Baptista, boa tarde.
      Que bom ter você aqui no Viva a Velhice.
      Muitíssimo agradecida pela observação. Fiz a devida correção, mesmo não sendo meu o texto.
      Percorri o caminho de retorno, isto é, a Fonte é lá está o erro.
      Volte sempre, aguardo suas contribuições e sugestões, também, sobre o tema do Blog.
      Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *