Hoje é dia do FÓRUM SOBRE QUESTÕES DE ENVELHECIMENTO

Com o tema “Educação para a dignidade no envelhecimento”, o Fórum Sobre Questões de Envelhecimento será realizado nesta terça-feira, dia 9 de agosto.

O evento acontece das 14h30 às 17h, no auditório G1, no primeiro andar do bloco G da Universidade Católica de Pernambuco em Recife. A entrada é franca.

Comentário do Blog: Como sempre, ao anunciar o Forum, postamos alguma referência sobre o tema. Entretanto, aguardemos o enfoque que o palestraste dará ao tema.

“Talvez o envelhecimento seja um dos maiores desafios da humanidade. Em todo o mundo e, especialmente, nos países em desenvolvimento, existem – ou pelo menos deveriam existir – políticas públicas que visam ajudar pessoas acima de 60 anos de idade a se manterem saudáveis e ativas são um assunto da ordem do dia. Políticas de inclusão para pessoas idosas tornam-se cada vez mais urgentes em todo o mundo, pois o resultado dessas políticas podem contribuir para o aumento da expectativa de vida.

De acordo com o artigo 1o da Lei nº 10.741/2003, popularmente conhecida como Estatuto do Idoso, a lei destina-se a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos. Assim, considera-se idoso o indivíduo com idade igual ou superior a sessenta anos.

Há de se observar que o idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata a lei, assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.

Desta forma, caberá a família, a comunidade, a sociedade em geral e ao Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. Tais direito figuram um rol meramente exemplificativo, significando dizer que outros são assegurados (ex. O direito a imagem).

De forma natural, no decorrer da vida, vamos nos encaixando a elas e modificando nosso modo de ser, mesmo sem querer. Assim, entender que a velhice está implícita na juventude, da mesma forma que a morte na vida, é uma maneira de aceitar os aspectos opostos da existência. Talvez a conservação da autoestima seja o segredo do saber envelhecer, de continuar a ser interessante para si próprio e para os outros.” Por  Rodrigo Ferreira em Pensando direito de modo diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *