Quem tem medo de envelhecer – Parte 2

Um tema, dois enfoques, duas mulheres,  idades diferentes, visão atemporal

As mulheres são: Magdalena Lea  na Parte 1 e Carol Miranda na Parte 2.

Carol Miranda, 30 anos faz videos sobre leitura no canal cyberspaceandtime.com, no Yotube e está presente em outras redes sociais.  A encontrei no cyberspace e começa a conversa do dia 03  de junho de 2016, com esta pergunta:

Por que a gente tem tanto medo de envelhecer? Preocupação originada pela leitura dos livros:
O curioso caso de Benjamin Button (F. Scott Fitzgerald)
A mulher desiludida (Simone de Beauvoir)
A máquina de fazer espanhóis (Valter Hugo Mãe)
E na sua conversa faz citação do filme Edukators (2003)

Assista o Tá permitido envelhecer de Carol Miranda e depois compare, analise e conte aqui a sua opinião.

É interessante ver no cyberspacy  também  o Tá permitido envelhecer,  porque a participação dos amigos da Carol e suas respostas nos oferecem um riquíssimo diálogo.. Todos precisamos aprender a envelhecer e os jovens precisam ter informações disponíveis. A Carol está no caminho certo, ler para conhecer e ter elementos de análise. Sua lucidez é um presente para todos. Mas, importante, necessário  e fundamental é ter qualidade de vida.

Magdalena  Lea foi uma mulher com uma visão a frente do seu tempo seu olhar poético sobre a velhice sempre reservava uma apoteose para a realidade mostrada em fina ironia. Transcrevo o final do seu poema “Envelhecer” como testemunho …

“E assim termina num tom muito inflamado:
— Meus amigos, também vos asseguro:
Se ao envelhecer encurtamos o futuro
Na mesma proporção cresce o passado!
Calou-se, então, finalmente.
Aproveitando o momento
Foi aí que alguém presente
Fez-lhe este cumprimento:
— Senhora, é cedo — disse —
Para pensar em velhice…
E acrescentou afoito:
— Em seus quarenta anos…
Mas, ela mais que depressa
Sai-se com essa:

— Trinta e oito!”

Hoje, lendo Magdalena  Lea gostaria de tê-la como aliada na tarefa de disseminar informações sobe o envelhecer. Ao ouvir Carol Miranda alegra-me ver os jovens começando a perceber a velhice.  Entretanto, é uma árdua tarefa superar os incontáveis estereótipos que a sociedade criou e carrega sobre a velhice.

Eis que lembro do Saltimbancos:

“Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer

Fonte para a Parte 1 com Magdalena Lea: www.velhosamigos.com.br e http://blocosonline.com.br/

Fonte Parte 2 com Carol Miranda  Ta permitido envelhecer   e o Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *