PUC-SP se abre para a Virada da Maturidade

PUC-Perdizes, na rua Ministro Godoi, 969, em Perdizes

Mestrado em Gerontologia da PUC-SP se abre para a Virada da Maturidade

A Virada da Maturidade entrou no cronograma de todos os professores do Mestrado em Gerontologia da PUC-SP que estarão em peso apoiando o evento, por entendê-lo como um importante processo de empoderamento de saberes.

O Programa, assim, se abre para o debate, entendendo que é no lócus sociocultural que as etapas da vida são significadas, influenciando percepções e comportamentos. Vejam a programação das aulas abertas ofertadas à comunidade em geral.

Arte de viver, Que família precisamos na velhice?, O envelhecimento e suas repercussões, Cidadania e direitos do idoso, Projeto social e envelhecimento, Memória e memórias,  Ponto de mutação, Discutindo o conceito de saúde e explorando a diferença entre prevenção e promoção, Prevenção de quedas…, são alguns dos temas que serão debatidos em aulas abertas no Mestrado em Gerontologia da PUC-SP durante a Segunda edição da Virada da Maturidade,  a ser realizada entre os dias 14 e 18 de Setembro de 2016.

Nesse sentido, a Virada da Maturidade 2016 vai ao encontro da área de concentração do mestrado, a gerontologia social, que volta o foco para questões, tais como:

  • de que modo o contexto social afeta e é afetado pelo processo de envelhecimento?; quais as demandas biopsicossociais específicas de quem tem mais de 60 anos?;
  • como entender o fato de que alguns sujeitos permaneçam ativos e vitais até os 90 anos (ou mais), enquanto outros se tornem frágeis aos 60 (ou antes)?
  • Que fatores poderiam ser considerados relevantes para o entendimento dessa variabilidade?; tendo em vista essa variabilidade/ heterogeneidade, como sustentar, do ponto de vista teórico e metodológico a hipótese de que há velhices abrigadas sob o rótulo velhice (no singular)?;
  • por que, enquanto em algumas sociedades, a rede de proteção social aos idosos é uma prioridade, em outras, eles são deixados à mercê de seus próprios recursos?;
  • por que há tanta diversidade no que tange à implementação de políticas públicas e sociais voltadas para o segmento populacional idoso?;
  • quais os desafios impostos pela sociedade pós-moderna ao segmento populacional idoso, especialmente no que diz respeito ao advento das novas tecnologias de informação?;
  • como ficam, nesse contexto, as relações intergeracionais e os arranjos comunitários e familiares?

Estas questões, mencionadas na proposta do Mestrado, e presentes ao longo do curso, leva-nos a concluir que o envelhecimento se constitui um desafio para os sujeitos, a sociedade e o Estado.

A Virada da Maturidade 2016, ao possibilitar a discussão de tais questões, como preconiza a Organização Mundial de Saúde, contribui para o desenvolvimento de um envelhecer com futuro.

Nesse sentido, esperamos que na semana que se desenvolve a Virada da Maturidade, possamos, como docentes do Mestrado em Gerontologia da PUC-SP, ajudar a promover uma reflexão sobre o longeviver, tendo como foco a perspectiva de um ser que envelhece num contexto muito específico: socioeconômico cultural.

Gerontologia Social

A Gerontologia da PUC-SP estuda o envelhecimento humano levando em conta não apenas o efeito desse processo sobre os sujeitos, como também sobre os contextos sociais nos quais eles se encontram e estão inseridos.

O problema atual da longevidade humana é abordado pela via do reconhecimento de que velhos são sujeitos com possibilidades de subverter e transformar valores e modos de vida que, social e culturalmente, lhes são impostos.

Tal perspectiva recusa a representação reducionista de que velhice seja sinônimo de doença e inatividade.

Nessa perspectiva, o objetivo do Programa, que é multidisciplinar, é formar pesquisadores, docentes e profissionais críticos, tendo como eixo norteador das suas disciplinas, linhas e grupos de pesquisa o Estado, a Comunidade e Família.

Os professores do Programa apoiadores da Virada da Maturidade 2016 são: Maria Helena Villas Bôas Concone e Elisabeth F. Mercadante (antropólogas), Fabio Jorge Renovato França (fisioterapeuta), Flamínia Manzano Moreira Lodovici (linguista), Paulo Canineu (geriatra), Fernanda Gouveia Paulino (psicóloga), Beltrina Côrte (jornalista), Silvana M. Correa Tótora (cientista social), Ruth G. Da Costa Lopes (psicanalista), Suzana Carielo Da Fonseca (fonoaudióloga), Luiz Alberto David Araujo (advogado) e Nadia Dumara Ruiz Silveira (educadora).

Programação das aulas abertas   Veja a programação:

Todas as aulas abertas serão realizadas no campus de PUC-Perdizes, localizado na rua Ministro Godoi, 969, em Perdizes. As salas 502 e 508 ficam no quinto andar e o Auditório Paulo VI está localizado no piso térreo, junto à Biblioteca Central.

Todos são bem-vindos!

(*) Beltrina Côrte é doutra em Ciências da Comunicação e atual coordenadora do Mestrado em Gerontologia da PUC-SP. E-mail: beltrina@pucsp.br

Fonte: www.portaldoenvelhecimento.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *