Plantas e medicamentos alopáticos

Foto: O farmacêutico Júlio Peixe no viveiro do projeto Farmácias Vivas, em Maracanaú (CE)

Conheça os riscos da interação entre plantas e medicamentos alopáticos

Sálvia, planta medicinal

Nesta quinta- feira (24/11), o Falando Francamente trouxe como tema as interações entre plantas, medicamentos alopáticos e seus riscos. Sobre o tema, o programa convidou o farmacêutico, Júlio Peixe.

 Ele comenta que esse assunto é pouco estudado. O farmacêutico alerta que é necessário identificar a planta, a quantidade e se vai ser tomado com outro tipo de medicamento.  Júlio Peixe também orienta procurar as pessoas capacitadas antes de tomar qualquer medicação para evitar efeito negativo.

Sálvia, planta medicinal Roser Vives / Flickr / CC .      Ouça a íntegra da entrevista no player 

DR. JÚLIO PEIXE ressalta que as pessoas tomam chás, seguindo tradições familiares ou de pessoas de suas comunidades, mas desconhecem as possíveis interações indesejáveis que podem gerar entre si ou com medicamentos. Desconhecem, também, a forma correta de prepará-los (se com as raízes, cascas, folhas, flores) e usá-los (em que quantidade, em que período e por quanto tempo, ou se é de uso tópico ou via oral). Por isto, alerta JÚLIO PEIXE, é importante que os pacientes busquem a orientação do farmacêutico sobre o uso correto de plantas medicinais.

Farmacêutico industrial pela Universidade Federal do Ceará (UFCE), DR. JÚLIO PEIXE tem pós-graduação em Gestão da Assistência Farmacêutica pela Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), pertencente à Secretaria de Saúde do Estado. É gerente e responsável técnico pela Unidade de Farmácia Viva de Maracanaú (CE). Atua como analista físico-químico do Laboratório de Saúde Pública (LACEN)/CE e integra o Comité de Fitoterapia do Estado. É, ainda, vice-presidente do Conselho Regional de Farmácia do Ceará.

O Falando Francamente vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 15h, pela Rádio Nacional da Amazônia. Apresentação: Artemisa Azevedo.

Fonte:http://radios.ebc.com.br/    Imagem: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *