Ferreira Goulart, 86 anos – Poeta e dramaturgo

“Eu não quero ter razão, quero é ser feliz’, disse Gullar em  2010

Ferreira Gullar morre aos 86 anos no Rio

Poeta, escritor e teatrólogo é um dos maiores autores brasileiros do século XX. Ele foi eleito ‘imortal’ da Academia Brasileira de Letras em 2014.

O poeta, escritor e teatrólogo maranhense Ferreira Gullar morreu neste domingo (4) no Rio, aos 86 anos. Gullar é um dos maiores autores brasileiros do século XX e foi eleito “imortal” da Academia Brasileira de Letras (ABL) em 2014, ocupando a cadeira nº 37.

Comentário do Blog:  A obra de Ferreira Gullar é de uma riqueza impar. Para presentear-nos permitiu que vários de seus poemas fossem musicados. É com carinho que Dr, Zem em seu Blog www.drzem.com.br  nos conta sobre isso.

Belos poemas que viraram músicas – Traduzir-se – Ferreira Gullar/Fagner.

Continuando a série – “Belos Poemas que Viraram Músicas. A escolhida de hoje é “Traduzir-se”, poema de Ferreira Gullar publicado em 1980, no livro “Na vertigem do dia”. O poema foi musicado com grande competência por Fagner, em 1981.

Comento: Embora tenha colocado, com rara beleza, a letra no clássico “Trenzinho do Caipira”, de Villa Lobos, o poeta do Maranhão declarou não ter muita habilidade para colocar letra em música já pronta, o inverso, no entanto, é verdadeiro: a poesia de ferreira Gullar é extremamente musical, muitas até parecem que foram feitas especialmente para serem musicadas.

O próprio Fagner, um amigo e admirador da obra Ferreira Gullar, trabalhou, pelo menos, mais quatro poemas do poeta maranhense, são eles: Contigo, Cantiga para Não Morrer (me leve), Menos a Mim e Rainha da Vida. Raimundo Fagner, como eu, certamente não acredita na incapacidade do poeta em colocar letra em música pronta, certa vez, o cantor cearense encaminhou um CD com várias músicas para que Gullar colocasse a letra, sobre este assunto o poeta declarou:

“O caso do Fagner é diferente, ele me procurou, ele buscou meus poemas e nos tornamos amigos. Eu gosto muito dele, tenho uma grande amizade por esse cearense. De vez em quando ele me liga ou me escreve, até me pediu outro dia para que eu colocasse letras numas músicas que ele enviou num CD – por problemas técnicos a mídia não funcionou, ficando eu impossibilitado de ouvir as músicas”. Infelizmente não consegui saber os desdobramentos, o certo é que Gullar ainda presenteou Fagner com várias traduções e versões de músicas estrangeiras, entre elas, a popular “Borbulha de Amor” (Borbujas de Amor) do dominicano Juan Luis Guerra.

Em 1998, Raimundo Fagner convidou Chico Buarque para que juntos interpretassem esta bela canção do cantor cearense em parceria com o poeta Ferreira Gullar. Faixa do álbum “Amigos e Canções”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *