O segredo para uma vida longa pode estar na sua vida social

A importância das interações para ser longevo. Construir interações com pessoas em nossas cidades, nosso trabalho, nossos trajetos, assim reforçamos nosso sistema imunológico, inundamos nosso cérebro e sangue de hormônios que causam o bem-estar e nos ajudam a viver mais. Construir essas interações é literalmente uma questão de vida ou morte.

Mais um Ted Talk, e mais um tema de interesse. O vídeo recentemente publicado foi filmado em abril deste ano e seu tópico é o segredo para se viver mais anos, quem promete revelá-lo é Susan Pinker, psicóloga e escritora famosa que teve muitas de suas ideias veiculadas em importantes mídias como New York Times, The Wall Street Journal e The Economist.

A ilha italiana da Sardenha tem seis vezes mais centenários do que a Itália continental, e dez vezes mais do que a América do Norte. Por quê? Segundo a psicóloga Susan Pinker, não é uma disposição genética ou uma dieta de baixa caloria e sem glúten que mantêm os moradores da ilha saudáveis — é a ênfase dada aos relacionamentos pessoais próximos e às interações cara a cara. Saiba mais sobre superlongevidade assistindo Pinker explicar o que é preciso para se viver 100 anos ou mais.

No mundo cada vez mais digital que vivemos e sabendo que as interações sociais são os maiores indicadores de longevidade é necessário se perguntar se o cara a cara e o virtual são equivalentes. A resposta curta é não, a conexão do olhar, ou o “toca aqui” é suficiente para liberar oxitocina, o contato pessoal libera uma série de neurotransmissores que a internet não consegue proporcionar. Mas, ainda cabe aqui a ressalva de que a tecnologia está constantemente evoluindo com ferramentas como Facetime e Skype que tornam a interação cada vez mais próxima do que seria caso fosse presencial.

Susan Pinker termina seu Ted Talk reforçando a importância das interações, esse é seu recado para ser longevo. Construir interações com pessoas em nossas cidades, nosso trabalho, nossos trajetos, assim reforçamos nosso sistema imunológico, inundamos nosso cérebro e sangue de hormônios que causam o bem-estar e nos ajudam a viver mais. Construir essas interações é literalmente uma questão de vida ou morte.

Fontes: www.portaldoenvelhecimento.com.br/ e https://www.ted.com/talks/

Imgem: LinkedIn                Em abril de 2017 Ted 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *