O Dente-de-Leão e o Viva a Velhice

 A belíssima lenda do  dente-de leão e seus significados

Segundo uma lenda irlandesa, o dente-de-leão é a morada das fadas, uma vez que elas eram livres para se movimentarem nos prados. Quando a Terra era habitada por gnomos, elfos e fadas, essas criaturas viviam livremente na natureza.

A chegada do homem os forçou a se refugiar na floresta. Mas as fadas tinham roupas muito chamativas para conseguirem se camuflar em seus arredores. Por esta razão, elas foram forçadas a se tornarem dentes-de-leão.

 

Comentário do Blog: A beleza  do dente-de-leão está na sua simplicidade. No convívio perene com a natureza, no quase mistério sutil e mágico da sua multiplicação. Por isso e por muito mais  é que elegi o dente-de-leão  como símbolo ou marca do Viva a Velhice. Imagem Ervanária Palmeira

 

O dente-de-leão é uma planta perene, típica dos climas temperados, que espontaneamente cresce praticamente em todo o lugar: na beira de estrada, à beira de campos de cultivo, prados, planícies, colinas e montanhas de altitude de aproximadamente até 2000 metros. Reproduz-se de uma forma tão rápida que invadem terras cultivadas, de modo que, especialmente no passado, o dente-de-leão era considerada uma erva daninha a ser erradicada.

Dada a sua espontaneidade e onipresença, esta planta seria de pouco valor, no entanto, ela tem muitas propriedades medicinais e tantos significados simbólicos, evocativos e variados. Ao dente-de-leão foram atribuídos poderes mágicos que inspirou mais de uma lenda.

O nome científico do gênero é taraxacum sendo a sua espécie mais disseminada a Taraxacum officinale. Mas seus nomes populares muitas vezes evocam sua particularidade. Além do nome comum dente-de-leão, no nordeste é conhecida por “esperança”. Na Itália vem a ser popularmente chamada por soffione(grande sopro) pelo fato de ter, depois de sua inflorescência, suas sementes recolhidas naquela bola que se parece com um pompom, pronta para voar e dispersar-se ao primeiro sopro de vento.

Todo mundo, pelo menos uma vez na vida, deve ter assoprado um fruto do dente-de-leão, talvez na esperança de ter o que se deseja.

Esta planta floresce a cada primavera produzindo algumas belíssimas flores amarelas, muito apreciadas por abelhas que sugam o néctar do qual se faz o mel de dente-de-leão.

O dente-de-leão e seus significados

Diz-se que esta planta simboliza a força, a esperança e a confiança. Teseu teria se alimentado por 30 dias seguidos apenas de dente-de-leão, a fim de tornar-se forte o suficiente para enfrentar e derrotar o Minotauro.

Acreditava-se no passado que o dente-de-leão tivesse o poder de curar a icterícia. De acordo com a Doutrina das Assinaturas – uma teoria que relaciona o formato da planta com uma estrutura semelhante a um órgão do corpo à uma ação benéfica sobre este – as sua flores amarelas eram elegíveis para curar distúrbios do fígado assim como a icterícia. Hoje sabemos que o dente-de-leão é realmente útil no tratamento do fígado, embora a razão não esteja na cor de suas flores.

O dente-de-leão também está relacionado à ideia do desprendimento e da viagem. As sementes desta planta parecem representar perfeitamente as fases, os ciclos de vida que cada um de nós tem que cumprir.

Inicialmente, as sementes ligadas ao apêndice delicado, não parecem dispostas a se destacarem. Mas, lentamente, são levadas pelo vento com “receio” em um primeiro momento, mas cada vez mais decididas a embarcarem em uma nova jornada e experimentar novas aventuras.

Superado o medo ou o receio inicial, elas se deixam levar pelo fluxo da vida, curiosas sobre novas descobertas, e prontas para criarem uma nova vida.

Este caminho é uma metáfora perfeita para a vida de cada um de nós: para voar e aproveitar todas as oportunidades da vida, é preciso se desprender da própria origem, enfrentar o novo e o desconhecido.

Um outro significado ainda é a representação do dente-de-leão como símbolo da infância e da inocência.

E são especialmente as crianças, de fato, que se deliciam em soprar e dispersar as sementes do fruto seco desta planta. Uma imagem que representa a infância em seu sonho de um futuro melhor para todos. Típica da alegria infantil, inocente e despreocupada, que precisamos recuperar e redescobrir na vida adulta.

No passado usava-se o dente-de-leão no buquê da noiva para levar sorte e riqueza ao casamento. Portanto, um outro significado daí advém, o da boa sorte e prosperidade.

O dente-de-leão também já representou a alternância entre o dia e a noite, o sol e a lua. Inicialmente, a planta é amarela e dourada, assim como o sol. Depois se transforma em uma esfera branca semelhante à lua cheia.

E para finalizar, ao dente-de-leão foram atribuídos poderes mágicos. Acreditava-se que a planta fosse capaz de aumentar as habilidades psíquicas das pessoas. Também acreditava-se que esfregando-a sobre a pele se atraísse o bem-querer de todos. Até as bruxas usavam este método para serem aceitas pelas pessoas.

Mas acima de tudo, o dente-de-leão foi considerado uma ponte de conexão entre a vida e a morte através dos espíritos

Por sua beleza e por seu simbolismo fascinante, o dente-de-leão é um dos desenhos mais populares e usados em tatuagens. Muitas vezes, retratado de uma maneira particular: as sementes que se desprendem e se transformam em aves, especialmente para indicar a liberdade, a possibilidade de um novo início, a vontade de recomeçar. Leia mais

Fonte: www.greenme.com.br/  

Imagens: http://tinhaqueser.com/fantasywire/

2 thoughts on “O Dente-de-Leão e o Viva a Velhice

    1. Heloisa, a nossa infância molda nossos valores. Esse assoprar e correr atrás das sementinhas para ver onde cairiam é mais ou menos o que faço, hoje no Viva a Velhice. Cada artigo postado é uma semente de ativismo que voa e espero que germine.
      Abração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *