Notas para tempos de mudanças

Quem se move no mundo da diversidade e do gênero sabe que Eva Levy é uma das Top 100 Honorárias na categoria de Pensadores e Especialistas, e tornou-se uma referência na Espanha.

 “Entre diversidade e fragmentação. Notas para o tempo de mudanças “  traz artigos de Eva Levy sobre o que ela sabe melhor. Seu olhar crítico sobre as cotas femininas nos conselhos de administração ou a lacuna salarial são algumas. Mas também sobre os novos modelos familiares e o cenário atual de mudanças internacionais caóticas e complexas entre outras questões.

Eva Levy , é uma das principais especialistas em gênero, e foi pioneira na promoção da presença de mulheres na alta administração de empresas e conselhos de administração. Agora, este livro se torna um ensaio de cinco capítulos: Família, trabalho, estrutura nacional, perspectivas internacionais e futuro.

“A sociedade é uma construção frágil que pode entrar em colapso durante a noite, se o realismo, a coerência e a diversidade não forem combinados com a prudência”.

Segundo a autora, a família é o “último vestígio de compreensão e humanidade” e o principal reduto do ser humano. O déficit de mulheres na hierarquia de poder dos negócios e a falta de igualdade real são objeto de análise a que se soma a contribuição de experiências concretas.

O trabalho é uma revisão histórica e explora a origem dos problemas ou sofrimentos atuais. “A distinção homem-mulher sempre esteve presente, até mesmo como obsessão, no pensamento humano, mas é a interpretação dessa diferença que agora foi transformada”, diz Eva Levy. Ao mesmo tempo, ele lembra que vivemos em um mundo em constante mudança e que, por mais otimista que sejamos, a boa onda durará para sempre.

Millenials, empresas e outros departamentos

“Os millennials têm uma mentalidade mais global e se atrevem a considerar trabalhar por conta própria ou fazer isso para aqueles que garantem equidade e incentivos em troca de sua criatividade e esforço”, ressalta o autor. Mas, ao mesmo tempo, concentra-se no paradigma dos expatriados, da mentoria reversa ou dos chamados homens engajados, que decidem se alinhar abertamente com a causa das mulheres profissionais, por um senso de futuro.

As empresas têm, diz Levy, um papel catalítico e primordial. “Hoje, o trabalho é o campo onde os movimentos da sociedade civil são mais especificamente percebidos, com suas preocupações éticas e ecológicas e com a demanda por igualdade de gênero que é evidente para a maioria dos espanhóis”, diz ele. A má notícia é que ainda há muito poucos que se comprometem a promover e reter talentos femininos. E alerta os desavisados: “A sociedade é uma construção frágil que pode entrar em colapso durante a noite, se o realismo, a coerência e a diversidade não forem combinados com a prudência”.

Mulheres sem motivação suficiente

Falta motivação para 85% das mulheres indicam vários estudos. “O excesso de prudência, não assumindo riscos e rigor no que fazemos são barreiras para o nosso crescimento”, conclui Eva Levy. A pergunta é: por que eles não têm coragem de chegar à alta administração?

“As cotas, mesmo que sejam uma ferramenta temporária, são irritantes, mas o que é mais é a realidade da exclusão feminina perpétua e injusta”.

O avanço das mulheres hoje depende de sua presença na gestão das empresas. A UE marcou 2020 como a data em que deverá haver uma quota de pelo menos 40% das mulheres nos conselhos de administração das empresas europeias com mais de quinhentos funcionários.

“As cotas, mesmo que sejam uma ferramenta temporária, são irritantes, mas o que é mais irritante é a realidade da exclusão feminina que  é perpétua e injusta”.

Levy se baseia nos percentuais médios das pesquisas no resto do mundo e fala de uma questão fundamental: aproveitar o tempo, a única coisa que realmente nos pertence e a necessidade de abraçar cada hora que vivemos.

Ele também se concentra em dados que podem ser reveladores: 46% das profissões que surgirão nos próximos anos estarão centradas no universo STEM. É a sigla para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. “As mulheres devem esquecer  de ser Cinderelas e se tornarem  Cyberellas “.

Estas são apenas algumas notas para provocar a leitura, o livro  está disponível nas principais livrarias em formato digital e impresso.

Sobre Eva Levy: trabalha há mais de vinte anos na promoção profissional e profissional de mulheres, com ênfase no desenvolvimento de suas carreiras gerenciais até chegar aos conselhos gestores. Nascida em Tânger como descendente de uma família sefardita expulsa da Espanha, ela logo aprendeu “o grande luxo da diversidade”. Por mais de três décadas ele ocupou cargos de gerência sênior em multinacionais de tecnologia, desempenhando um papel importante nos processos de crescimento e fusão. Ela está convencida da importância das organizações civis para mudar o cenário econômico e social.

É oradora regular em fóruns universitários, empresariais e institucionais sobre mulheres, diversidade cultural, responsabilidade social da empresa, gestão, inovação e novas tecnologias. Mais informações:  www. evalevyandpartners .com /

* A editora LoQueNoExiste foi criada por Mercedes Pescador em 2007 com o objetivo de lançar livros sobre temas necessários, de grande impacto social e contribuindo para a sua disseminação.

Fonte:http://mujeresycia.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *