Uma alimentação saudável é o melhor remédio – Parte 1

Hoje, 10 de fevereiro marca a primeira celebração do Dia Mundial das Leguminosas.

A data foi designada pela Assembleia Geral  das Nações Unidas (ONU) para reafirmar a contribuição das leguminosas para a agricultura sustentável e o alcance da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

A iniciativa busca manter o impulso positivo obtido com a campanha realizada durante o Ano Internacional das Leguminosas em 2016.

Valor Nutricional – As leguminosas mais populares são os diversos tipos de feijão: preto, mulatinho, manteiga e carioca; grão-de-bico, ervilha, soja, lentilha e fava, entre outros.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) destaca que as leguminosas são culturas agrícolas essenciais por várias razões. Elas são repletas de nutrientes e têm um alto teor de proteína, o que as torna uma fonte ideal de proteína, principalmente em regiões onde carne e laticínios não são fisicamente ou economicamente acessíveis.

A agência enfatiza ainda que as leguminosas também são pobres em gordura e ricas em fibras solúveis, o que pode diminuir o colesterol e ajudar a controlar o açúcar no sangue. Por causa dessas qualidades, elas são recomendadas por organizações de saúde para o manejo de doenças crônicas, como diabetes e problemas cardíacos.

As leguminosas também têm apresentado bons resultados na ajuda ao combate à obesidade.

Na lista abaixo, a FAO mostra 10 razões pelas quais as leguminosas devem fazer parte da dieta humana.

As leguminosas são encontradas nos supermercados, nas feiras ou como acompanhamento dos pratos principais. Em muitos países, elas fazem parte da cultura e são consumidas regularmente ou até mesmo diariamente.

Em outras partes do mundo, o grupo de alimentos dificilmente recebe atenção, exceto quando servido em uma sopa num dia frio de inverno. No entanto, essas pequenas sementes multicoloridas têm sido um dos alimentos nutritivos da natureza por muito tempo.

A FAO revela o porquê do uso das leguminosas:

  1.  Este grupo de alimentos apresenta naturalmente um baixo teor de gordura e não contém colesterol, o que pode contribuir para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.
  2.  As leguminosas também têm baixo teor de sódio. Cloreto de sódio, ou sal de cozinha, contribui para a hipertensão e pode ser evitado com o consumo de alimentos com baixos níveis de sódio, como as leguminosas.
  3. Elas são uma ótima fonte de proteína vegetal. Surpreendentemente, 100 gramas de lentilhas secas contêm 25 gramas de proteína! Durante o cozimento, as leguminosas absorvem quantidades consideráveis ​​de água, reduzindo assim seu conteúdo de proteína para cerca de 8%. Porém, é possível aumentar a qualidade da proteína de legumes cozidos simplesmente combinando-os com cereais na refeição. Um exemplo é o de lentilhas com arroz.
  4. As leguminosas são uma boa fonte de ferro. A deficiência de ferro é considerada uma das formas mais comuns de desnutrição e é um dos tipos mais frequentes de anemia. Para ajudar a otimizar a absorção de ferro no corpo com leguminosas, a recomendação é combinar elas com alimentos que contenham vitamina C, como por exemplo, adicionando suco de limão no molho de lentilhas.
  5. As leguminosas são ricas em potássio, o que ajuda na saúde do coração e desempenha um papel importante nas funções digestivas e musculares.
  6.  As leguminosas são frequentemente citadas entre os principais alimentos ricos em fibra, necessários para auxiliar a saúde digestiva e ajudar a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares.
  7. As leguminosas são uma excelente fonte de folato, um tipo de vitamina B naturalmente presente em muitos alimentos e essencial para a função do sistema nervoso e especialmente importante durante a gravidez para prevenir defeitos fetais.
  8. As leguminosas podem ser armazenados por um longo período e por isso podem ajudar a aumentar a diversidade das dietas, especialmente nos países em desenvolvimento.
  9.  As leguminosas são alimentos de baixo índice glicêmico. Elas ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e de insulina. Por isso, elas são adequadas para pessoas com diabetes e ideais para o controle de peso.
  10. Finalmente, as leguminosas são naturalmente isentas de glúten. Isso as torna uma opção ideal para celíacos.

Como aponta a FAO, elas são aliadas deliciosas na obtenção da segurança alimentar, na redução da desnutrição e para a #FomeZero no mundo.

Segurança alimentar – A FAO aponta que para os agricultores, as leguminosas são uma importante cultura agrícola porque podem ser vendidas e consumidas pelos agricultores e suas famílias. A possibilidade de ter a opção de consumir e vender as leguminosas produzidas, ajuda os agricultores a manter a segurança alimentar doméstica e a criar estabilidade econômica.

Além disso, as propriedades de fixação de nitrogênio das leguminosas melhoram a fertilidade do solo, o que aumenta e prolonga a produtividade das terras agrícolas. Ao utilizar as leguminosas para intercarlar  as colheitas e culturas de cobertura os agricultores também podem promover a biodiversidade agrícola e do solo, mantendo as pragas e doenças prejudiciais à distância.

Em 10/02/2019      Fonte: https://news.un.org/pt/

Continua na Parte 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *