Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2020

«Las residencias no son el infierno»

CARTA de unos trabajadores alaveses Se presentaba en nuestra redacción pidiendo la publicación de una carta sobre residencias de la tercera edad. Trabaja en una de ellas. Y ha compartido su visión con compañeros y familiares de los mayores.Comentário do Blog: Álava (em basco: Araba) é uma das três províncias que compõem a comunidade autônoma do País Basco da Espanha e possui aproximadamente 300.000 habitantes. São pouquíssimos os países que administram a pandemia do vírus Covid-19 com relativo sucesso. Aqui neste Brasil não encontrei nenhuma notícia ou comentário sobre  as instituições que acolhem idosos, ou seja, as  Instituições de Longa Permanência para Idosos -ILPI.  A seguir, lhes apresento a carta de um grupo de trabalhadores de uma instituição para pessoas idosas publicada dia 25/04/2020 na página do periódico NORTEExpress da cidade de Alava, na Espanha. Eis a carta:«Últimamente parece que estos centros son como el infierno, que algunos así serán, pero donde yo trabajo no. Quier…

Idosos de todo o mundo, uni-vos!

"Iremos para as trincheiras e defenderemos nosso direito de morrer quando a hora chegar e não quando interessar ao mercado" Escreve o cartunista , Miguel Paiva para o Jornalistas pela Democracia. Miguel Paiva. Foto: Reprodução“Como idoso me sinto ameaçado por este governo. Não que eu seja um idoso de grupo de risco. Aí já me sentiria condenado. Aparentemente sou saudável, faço exercícios, tomo meus suplementos fitoterápicos, faço meus exames regularmente e tirando meu joelho que reclama, me sinto muito bem. Quando era bem mais jovem me sentia ameaçado pela ditadura por ser estudante e depois jornalista. Fui preso por causa disso duas vezes, uma vez em cada categoria. Achava que esses tempos tinham acabado.Agora, durante a pandemia bolsonariana, a ameaça volta. Como diz minha amiga Emília Silveira, parceira de trabalhos e de quarentena junto com a Angela aqui na serra, o velho de hoje é o judeu de antigamente ( ou de sempre).Alguns países e algumas tribos indígenas consideram …

Coronavírus e velhice: eu não sou seu avô!

Ricardo Iacub, porta-voz de uma cruzada por mostrar que a velhice não precisa ser sinônimo de descarte.Por que, ao contrário da crença popular, a crise da saúde pode ser uma oportunidade para maiores de sessenta anos? Qual é a utilidade de reivindicar a palavra "antigo" no contexto de uma explosão viral global? Que pequenos atos podem fazer a diferença durante o isolamento?Tudo isso e muito mais explica o gerente de gerontologia e vice-gerente do PAMI, Ricardo Iacub, porta-voz de uma cruzada por mostrar que a velhice não precisa ser sinônimo de descarte. Por Dolores Curi
Ricardo Iacub, vice-gerente do PAMI Imagem: Sebastián Freire
Ninguém quer ser chamado de "velho" ou "velho". E para não mencionar que ele é "velho, solitário e fodido", que, além de uma das peças mais bem-sucedidas e de maior duração do jogo, é um resumo, a imagem viva, do destino em que ninguém queria pousar. Dessas representações do envelhecimento como a cena mais temida, tão ap…

Dilema ético, os idosos e a metáfora da guerra

Parte da sociedade é tratada como inútil e improdutivaA metáfora da guerra tem sido utilizada para espelhar a luta que está sendo travada contra aCovid-19. Essa analogia é moralmente preocupante. Na situação de guerra, o desafio é curar os soldados e mandá-los de volta para a batalha. Numa epidemia é muito diferente. Precisamos salvar a vida dos civis preservando valores e sensibilidades da sociedade humana. As democracias enaltecem os princípios de igualdade e solidariedade. Sabemos que os determinantes da saúde são sociais e que é próprio dos Estados modernos procurarem reduzir desigualdades que marcam a vida social.Por essa razão há um mal-estar em dizer, com todas as letras, que o jovem tem prioridade em relação ao idoso em caso de colapso do sistema de saúde. Na Itália e na Espanha, diante desse dilema médico, associações de classe optaram abertamente pelo critério da idade cronológica. Deram prioridade àqueles que teriam “recuperação mais rápida” ou “maior expectativa de vida” —…

As 5 características da empatia

As características da empatia nos levam a nos conectar emocionalmente com os outros.A empatia é uma habilidade excepcional, muito importante para a nossa convivência social. É o poder que as pessoas têm para poder sintonizar as emoções e intenções dos outros.Mas não é apenas saber como os outros se sentem. É também entender por que eles se sentem assim, respeitar seu modo de sentir e pensar, colocar-se no mesmo lugar e, com base nisso, descobrir como fazê-los se sentir melhor.Abaixo, examinaremos mais de perto as características da empatia , além de refletir sobre o que é empatia útil em oposição ao que é projetado.As principais características da empatiaMuitos pensam que definir empatia é uma tarefa simples, mas, ironicamente, eles tendem a ser os que têm menos empatia. A idéia de que a empatia é o ato de se colocar no lugar dos outros ou de entender o que eles sentem não está errada, mas é muito simplista. Há muito mais na palavra empatia, muito mais esforço e desejo de ajudar do qu…

“Vivimos en un mercado planetario que no ha sabido suscitar fraternidad entre los pueblos”

Edgar Morin, el filósofo francés reflexiona a sus 98 años sobre los efectos de la epidemia de coronavirus y alerta contra los peligros del darwinismo social y la destrucción del tejido público en sanidad y educación. "La unificación técnico-económica del mundo que trajo el capitalismo agresivo en los años noventa ha generado una enorme paradoja que la emergencia del coronavirus ha hecho ahora visible para todos: esta interdependencia entre los países, en lugar de favorecer un real progreso en la conciencia y en la comprensión de los pueblos, ha desatado formas de egoísmo y de ultranacionalismo. El virus ha desenmascarado esta ausencia de una auténtica conciencia planetaria de la humanidad”. Edgar Morin habla con su habitual pasión por Skype. Él, como millones de europeos, se encuentra confinado en su casa del sur de Francia, en Montpellier, con su esposa.Está considerado como uno de los filósofos contemporáneos más brillantes; a los 98 años (el 8 de julio cumplirá 99) Morin lee, …

Coronavírus mostrou que todos sentimos medo e morremos igual

Diante dos nossos olhos se esvanece o paradigma civilizatório que nos moldou ao longo dos últimos 200 anosDa minha janela vejo uma amoreira branca, árvore que me fascina e que foi um dos motivos pelos quais escolhi morar aqui. A amoreira é uma planta generosa —ao longo de toda a primavera e de todo o verão alimenta dezenas de famílias de pássaros com os seus frutos doces e saudáveis. No entanto, agora a amoreira está sem folhas, e assim vejo um pedaço de uma rua quieta ao longo da qual raramente passeia alguém em seu caminho para o parque. O tempo em Breslávia está quase veranil, brilha um sol que quase ofusca a vista, o céu está azul, e o ar, límpido. Hoje, enquanto passeava com o cachorro, vi duas pegas espantando uma coruja para longe do seu ninho. Nos entreolhamos com a coruja a uma distância de apenas um metro.Tenho a impressão de que os animais também esperam por aquilo que está por vir. Para mim, já havia um bom tempo, o mundo estava em demasia. Por demais, rápido demais, barulhe…

A companheira de todas as horas: a leitura

A escritora Ruth Rocha uma vez disse que as pessoas são divididas em três categorias: as que serão leitores sem nenhum estimulo; as que precisam de estimulo para ler e as que não lerão nunca.Acreditando que o Viva a Velhice  conquistou a fidelidade de muitos leitores. Convencida?  Direi que não. O Analitcs, agora ExactMetrics me informa diariamente quantos pessoas visitaram o Blog e qual o post eleito para a visita e quantos minutos permaneceram em cada um.

Sabemos nós que o Viva a Velhice abriga longos e longos artigos e não vai mudar, porque o objetivo é informar e um artigo técnico ou oriundo de pesquisa, seja lá qual for a metodologia jamais será um bilhete.
Mas hoje, coisa que há tempos não aparece por aqui, vamos sugerir livros para leitura, que tem tudo a ver com o momento histórico que estamos vivendo.
Numa pequena cidade da costa argelina, na década de 1940, a vida dos habitantes segue sua rotina até que milhares de ratos começam a surgir do subterrâneo e morrer aos milhares. Lo…

Qual é a sua relação com o envelhecimento?

Se você está vivo, está envelhecendo. É óbvio, mas vale a pena notar que as pessoas têm diferentes graus de consciência desse fato. Alguns de nós estão cientes da realidade do envelhecimento quase constantemente. Outros quase não pensam nisso. A maioria de nós cai em algum lugar no meio.O mais importante, talvez, não é a frequência com que pensamos sobre o envelhecimento, mas como nos sentimos a respeito disso quando o fazemos. Esses pensamentos são positivos ou negativos? Nós os recebemos ou tentamos impedir que eles venham à mente? Nosso relacionamento com o processo de envelhecimento não só nos diz coisas importantes sobre como nos vemos, mas também sobre nossa disposição de ver outros de todas as idades como seres humanos igualmente viáveis.E assim surge a pergunta: qual é a sua relação com o envelhecimento?Envelhecer como um "inimigo" -  As pessoas que experimentam o envelhecimento em termos combativos o fazem de um lugar de medo. Para eles, envelhecer significa tornar-…